Dicas para a saúde de seus rins

Manter um estilo de vida saudável é fundamental. O sobre-peso e a obesidade são responsáveis pelo aumento da ocorrência de diabetes e facilitam o aumento da pressão arterial, que são as duas causas mais importantes de doença renal no mundo. Portanto, tente manter-se no seu peso ideal.

Deve-se ingerir de quatro a seis gramas de sal por dia, mas levantamentos apontam um consumo médio de até 12g em algumas regiões. A primeira dica é valorizar ervas e condimentos que acentuam os sabores dos alimentos. O uso de outras formas de sal deveria ser recomendado por médicos, mas lembre-se que o chamado “sal light” é formado por uma mistura de cloreto de sódio e cloreto de potássio, e não deve ser usado por pessoas portadoras de doenças renais. O sal mineral é extraído de minas subterrâneas, ao passo que o sal marinho é resultado da evaporação da água do mar, mas o cloreto de sódio existente em ambos causa os mesmos efeitos no corpo. Temperos à base de glutamato monossódico realçam o sabor dos alimentos, mas como é rico em sal deve ser usado com cuidado.

Verifique sua pressão arterial: ela deve estar em torno de 120/80. Entre este nível e 130/90, recomenda-se adotar mudanças em seu estilo de vida e em sua alimentação. Acima de 140/90, deve-se discutir a situação numa consulta médica e acompanhar sua pressão arterial regularmente. O risco de doença renal é particularmente elevado quando associado com outras alterações como diabetes e doenças cardiovasculares.

Pessoas do grupo de risco para doença renal (como diabéticos, hipertensos, obesos, e familiares de outros doentes renais) devem fazer sua revisão médica de rotina, com especial atenção para verificação da pressão arterial e realização de exames simples para a detecção de anormalidades renais como creatinina, exame comum de urina e pesquisa de proteinúria urinária. Assim, alterações iniciais podem ser reconhecidas e tratadas, sendo esta a melhor oportunidade de preservação da saúde para estas pessoas.

Diabéticos precisam manter o melhor controle possível da glicose no sangue, vigiar sua pressão arterial e anormalidades urinárias através de exames uma vez por ano.

Recomenda-se o abandono do hábito do fumo para todos os portadores de doença renal, pois o tabagismo é causa de piora mais rápida da função dos rins.

Deve-se ter cuidado com o uso de medicações não-prescritas como algumas medicações usadas para dor (conhecidas como anti-inflamatórios), alguns antibióticos de uso hospitalar e contraste iodado (usado em exames como cateterismos e tomografias). Pode haver piora, às vezes acentuada, da função dos rins. Preocupe-se em buscar aconselhamento médico em especial se você tem alteração na função de seus rins e se o uso da medicação precisa ser prolongado.

Em portadores de doença renal crônica, as doses de algumas medicações precisam ser alteradas e às vezes deve-se adotar alternativas melhores para a mesma finalidade. Por isso, a identificação das alterações do funcionamento dos rins é fundamental para que a pessoa seja orientada adequadamente quando necessário.

Fontes:
Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) – www.sbn.org.br
Dia Mundial do Rim (World Kidney Day) – www.worldkidneyday.org

Responsável: Dirceu Reis da Silva
Sugestões para sgn@sgn.org.br 


Sociedade Gaúcha de Nefrologia
Centro Científico da AMRIGS - Avenida Ipiranga, 5311- sala 101 (das 12 às 18 horas)
Porto Alegre/ RS - CEP: 90610-001
sgn@sgn.org.br - Telefones: (51) 33367720 - 30142087