Prevalência das doenças renais

A prevalência de doenças renais está aumentando dramaticamente em todo o mundo, e o custo inerente ao manejo de doenças crônicas ameaça o sistema de saúde em todos os países.

O crescimento do diabetes em todo o mundo

Há atualmente mais de 240 milhões de diabéticos em todo o mundo. Em 2025, serão mais de 380 milhões, principalmente em função do crescimento e do envelhecimento populacionais, da urbanização, dos hábitos inadequados de alimentação, do aumento da obesidade e do estilo de vida. Em 2025, o número de diabéticos mais do que dobrará no sudeste da Ásia, no leste mediterrâneo, no Oriente Médio e na África.

Um crescimento de aproximadamente 20% deverá ocorrer na Europa, 50% na América do Norte, 85% na América Latina, e 75% no Oeste do Pacífico. Os 5 países com maior prevalência de diabetes serão a Índia, China, os Estados Unidos, Rússia e Japão. Em todo o mundo, mais de 50% dos diabéticos não sabem desta sua condição e não são tratados. Além disso, aproximadamente 40% dos indivíduos com diabetes irão desenvolver Doença Renal Crônica, que acentua o risco associado de eventos cardiovasculares e outras complicações do diabetes.

Os mesmos fatores que determinam a obesidade favorecem o surgimento do diabetes e da doença renal crônica, como a história familiar, a presença de hipertensão, e alguns comportamentos como o sedentarismo e maus hábitos alimentares. É importante identificar estes riscos precocemente para reduzir o desenvolvimento do diabetes e da DRC, uma vez que a doença renal aumenta em muito os riscos de eventos cardiovasculares nos diabéticos.

Prevalência crescente de hipertensão em todo o mundo

A Hipertensão é um problema global bastante comum e acredita-se que ele se tornará mais a mais frequente. É a maior causa de doença renal crônica no mundo. A população tem vivido mais, e o envelhecimento é o fator de risco mais comum para o desenvolvimento tanto de hipertensão e diabetes quanto da doença renal crônica. Aproximadamente um bilhão de pessoas são hipertensas e este número deverá chegar a 1,56 bilhão em 2025. Espera-se que a prevalência de hipertensão aumente em 24% nos países desenvolvidos e em 80% nos países em desenvolvimento como os da África e América Latina. Relatou-se recentemente que 333 milhões de adultos em regiões economicamente desenvolvidas (como a América do Norte e Europa) tinham hipertensão em 2000, havendo um adicional de 639 milhões nos países em desenvolvimento com esta condição*.

Resultado: prevalência mundial crescente de doença renal

A frequência de doença renal crônica continua a aumentar em todo o mundo assim como a prevalência de insuficiência renal crônica terminal. As causas mais comuns são a hipertensão e o diabetes, mas não são as únicas. A presença de doença renal crônica é associada com um aumento acentuado do risco cardiovascular. Mais do que isso, o risco cardiovascular aumenta na proporção em que a taxa de filtração glomerular cai abaixo de 60ml/min. Por fim, resta destacar que a morte por causas cardiovasculares é 8 vezes maior na doença renal crônica, muito maior do que a morte por câncer. Consequentemente, a identificação e redução da doença renal crônica tem se tornado uma prioridade de saúde pública.

A prevalência reconhecida de doença renal crônica nos estágios de 1 a 4 no mais recente censo Americano (NHANES - national health and nutrition examination survey) entre 1999 e 2006 foi de 26 milhões (13%) da população residente nos Estados Unidos com 20 anos ou mais, que contabiliza cerca de 200 millhões de pessoas. Destes acometidos, 65.3% têm doença renal crônica estágio 3 ou 4.

O relatório mais recente do United States Renal Data System (USRDS) estima que cerca de meio milhão de pacientes nos Estados Unidos foram tratados para IRC em 2004, e que para 2010 haverá um aumento de aproximadamente 40% neste número. Os idosos são o grupo etário que mais cresce, e apresenta um maior risco para doença renal. Além disso, homens e afro-americanos com hipertensão ou diabetes pré-existente estão também sob risco muito maior de IRC. Este quadro tem sido reconhecido em outros lugares do mundo, tanto desenvolvidos como a Europa, Ásia e Austrália, como em regiões de menor desenvolvimento como a China, Índia e a África*.

*George L. Bakris and Eberhard Ritz, Hypertension and Kidney Disease, A Marriage that Should Be Prevented, Kidney International 75, 449-452 (13 February 2009).

Responsável: Dirceu Reis da Silva
Sugestões para sgn@sgn.org.br
 

Sociedade Gaúcha de Nefrologia
Centro Científico da AMRIGS - Avenida Ipiranga, 5311- sala 101 (das 12 às 18 horas)
Porto Alegre/ RS - CEP: 90610-001
sgn@sgn.org.br - Telefones: (51) 33367720 - 30142087